Praias da cidade maravilhosa contarão com serviço Wi-Fi

orla digital copacabana

Fonte: http://midiaria.wordpress.com (Publicado por Lucas Lima)

Praia e internet, será que isso combina? O projeto “Orla Rio Digital” irá fornecer internet gratuitamente para a população, frequentadores e turistas das praias cariocas. Até o final de 2012 o serviço será disponibilizado no Leme e em Copacabana. Em 2013, o serviço será estendido para Leblon, Ipanema, São Conrado e início da Barra da Tijuca. É uma parceria entre as empresas Linktel Corporate, operadora brasileira de telecomunicações, com a Orla Rio.

mapa-wifi-rio

Para garantia total de funcionalidade, controle de conteúdo e acesso, o serviço terá até 16 redes simultâneas. “Já estamos nos preparando para a Copa 2014 e Olimpíadas 2016, quando milhões de turistas virão para os maiores eventos esportivos do mundo. O serviço terá tecnologia semelhante a utilizada em aeroportos como o Heatrow, em Londres, e JFK, em Nova York.

Já os turistas estrangeiros também poderão utilizar o serviço em roaming da Linktel, que possui acordos internacionais com as maiores operadoras de Wi-Fi do mundo, entre elas a Boingo, iPass, Trustive, Swisscom, o que beneficiará estes usuários, que poderão realizar a conexão à internet de forma muito simples, rápida e segura. Os usuários das praias cariocas poderão acessar e-mails e participar de comunidades digitais. Os clientes que possuem crédito no Skype poderão utilizar o Wi-Fi da Orla Rio Digital também para se comunicar com o mundo.

O serviço Wi-Fi da Linktel é o único no Brasil homologado pela Wi-Fi Alliance, que reconhece a operadora como a que possui mais hotspots homologados do que países como Espanha , Bélgica , Hungria e Argentina.

OrlaDigital_foto

Vamos nos conectar na beach?

Anúncios

Sem informação não há criação!

(Imagem de http://www.sargentsfineart.com)

O sucesso pleno de um projeto de design online, off-line e de uma campanha publicitária, além da criatividade da equipe envolvida no projeto, se deve muito a elaboração de um bom briefing. Essa é, ou pelo menos deveria, ser a etapa inicial e uma das mais importantes realizadas pelo atendimento junto ao cliente, é o momento de conhecer melhor a empresa, os serviços e/ou produtos oferecidos e as expectativas do cliente em relação ao resultado final do projeto.

Um briefing bem elaborado direciona o trabalho do criativo com foco em atender a expectativa do cliente, tendo maiores possibilidades de aprovação com o mínimo de alterações no projeto, evitando assim o retrabalho que é o grande vilão responsável, na maioria das vezes, pelos  atrasos na entrega do projeto final com prazos já tão apertados.

Os tópicos a seguir para a  elaboração de um briefing são fundamentais para direcionar melhor o trabalho do profissional de criação:

1 – Objetivos do Projeto

Informações sobre o objetivo a ser atingido com a implementação do novo projeto, que pode ser: mudança de identidade visual, lançamento de produto, novo posicionamento da marca em relação a concorrência, são diversas as possibilidades.

2 – Concorrentes

Conhecer ao máximo pelo menos três concorrentes diretos, observando aspectos técnicos do produto, sistemas de produção, o diferencial de cada um e o posicionamento das marcas no mercado.

3 – Informações sobre a empresa

Informações sobre a empresa como: sua história desde a fundação, missão, valores, infraestrutura e o histórico de ações desenvolvidas no passado.

4 – Detalhes técnicos do produto e/ou serviço (lançamento)

Detalhes técnicos, assim como o máximo de informações possíveis sobre produto e/ou serviço são importantes para destacar como diferenciais na comunicação.

5 – Oportunidade de mercado

Análise do mercado no segmento de atuação da empresa para identificar a oportunidade para lançamento de um novo produto e/ou serviço.

6 – Posicionamento da marca em relação à concorrência

Existem diversas marcas e produtos similares no mercado, mas qual o posicionamento da marca em relação à concorrência? O que a faz estar nessa posição? Quais seus diferenciais?

7 – Público-Alvo  (Target)

Quem é o público-alvo? Essa é a umas das principais questões para a criação de peças impactantes que “conversem“ de forma eficiente com o público a ser atingido.

8 – Abrangência geográfica

A ação será regional? Ou em todo o território nacional? Ou ainda, será uma campanha internacional? São informações importantes para adequação cultural do projeto que será visível nas peças desenvolvidas.

9 – Visual

Definir o visual da campanha de acordo com a mensagem que a empresa quer passar. Algumas empresas tem restrição no uso de algumas cores, por exemplo, para essas informações o ideal é ter acesso ao Manual de Identidade Visual da empresa, esse material ajuda muito na elaboração dos layouts no processo criativo, é possível saber o que pode e o que não pode ser feito.

10 – Expectativa em relação ao público-alvo

O que o cliente espera ter como resultado com a implementação do projeto. Prever como será a receptividade do público-alvo.

11 – Considerações gerais das ações no meio digital e impresso

Nas considerações gerais informar o que foi definido com o cliente em relação às ações no meio digital e impresso, quais peças serão divulgadas em cada meio e como as ações serão conduzidas.

12 – Cronograma

Elaboração de um cronograma com todas as etapas para desenvolvimento do projeto desde o primeiro contato com o cliente até a entrega do projeto final.

Fonte: http://midiaria.wordpress.com

O que é Identidade Visual?

Imagem de: http://www.georgianc.on.ca

Identidade visual é o conjunto de elementos formais que representa visualmente, e de forma sistematizada, um nome, ideia, produto, empresa, instituição ou serviço. Esse conjunto de elementos costuma ter como base o logotipo, um símbolo visual , ícone e conjunto de cores.

A confecção de um logotipo ou de um símbolo visual capaz de representar a assinatura institucional da empresa deve ser estabelecido através de um documento técnico ao qual os designers nomearam de manual da identidade visual. Esse documento serve para estabelecer normas e critérios técnicos de reprodução da marca nos mais variados suportes existentes no atual estado da técnica como por exemplo: suportes gráficos (impressão) e suportes eletrônicos (interfaces).

Fonte: http://pt.wikipedia.org

A identidade visual torna-se um dos mais importantes fatores que podem transformar um empreendimento, um negócio, um projeto, etc., e uma das etapas fundamentais para compô-lo, é a criação de um Manual de Identidade Visual que compõe:

  1. os aspectos formais da marca – ou seja os elementos que compõe o símbolo gráfico e as variações formais da marca: por exemplo, para uma marca representada por uma imagem fotográfica deve ser apresentado tal imagem nos padrões monocromático, preto e branco, tons de cinza, fotográfico uma versão digitalizada ou seja uma versão vetorial da marca nas mesmas variações formais: monocromática, preto e branco, tons de cinza, chapado.
  2. apresentar as variações da assinatura da marca: padrão de assinatura horizontal, padrão de assinatura vertical e variações formais da assinatura com slogan e sem slogan. Algumas marca contém slogan, outras não. Assim como algumas marcas são compostas simplesmente pelo nome da empresa (Coca-Cola, IBM, Microsoft). É imprescindível apresentar tais características da marca e sustentar uma utilização padronizada.
  3. apresentar aspectos técnicos da marca: cor (pantone, rgb, cmyk, hexadecimal), fonte, dimensões, direção, etc.
  4. apresentar o padrão de utilização da marca em todo o material institucional previsto pela empresa: papel timbrado, envelope, etiqueta, adesivo, embalagem, objetos, uniforme, rótulo, frota etc.
  5. determinar dimensões mínimas e máximas para a impressão
  6. regularizar a utilização da marca em fundo colorido, preto, branco e monocromáticos.
  7. apresentar situações a serem evitadas.

Ou seja identidade é o conjunto de caracteres proprios e exclusivos com os quais se podem diferenciar pessoas

Fonte: http://pt.wikipedia.org

Pense nisso quando estiver planejando sua empresa ou projeto. A R2 Creative recomenda!