A R2 Creative deseja a todos!

Bom dia pessoal!

Com a chegada do final de ano e a chegada de um novo, é comum todas as pessoas renovarem seus sonhos e objetivos para aquele que chega recheado de esperanças e possibilidades de novas conquistas.

Fico observando os designers que atuam com a R2 Creative e vejo somente belas criações, belas ideias, belas Apresentações… Não me canso de notar a facilidade que todos tem para demonstrar situações e momentos, seja no mundo corporativo, pessoal ou acadêmico. Todos eles vem recheados de sutilezas importantes, beleza e qualidade visual, cores fiéis aos clientes e objetivos atingidos.

Nosso DNA é pura criação e é através desta força que colaboradores e parceiros realizam belas Apresentações e produtos voltados à Comunicação e Marketing de pessoas e empresas.

Ficamos muito felizes quando nossos clientes conseguem atingir seus objetivos e principalmente quando as nossas criações são parte da conquista de cada um, procurando sempre ser fiel à nossa principal missão: “Através da comunicação criativa, transformar os objetivos das pessoas em realidade”.

O ano de 2017 foi muito bom e será ainda melhor em 2018, só que para isso, temos em mente que temos que ampliar nossa capacidade de criação e assim colaborar com todos aqueles que confiam em nosso trabalho, e é através deste pensamento que passamos hoje para desejar a cada um que fez parte de nossas conquistas até agora, um excelente ano de 2018, fartamente recheado de muitas conquistas pessoais e profissionais.

Anúncios

Você sabe como inserir, editar e formatar um vídeo diretamente do PowerPoint?

Olá pessoal,

Os usuários que passaram a usar o PowerPoint 2010 depararam-se com diversas facilidades que vieram facilitar a execução e finalização de belas Apresentações, tornando-as diferenciadas das demais. Os recursos que foram inseridos e disponibilizados facilita muito na hora da criação.

Hoje vamos compartilhar uma forma de inserir vídeos e personalizá-los dentro do próprio PowerPoint, não sendo necessário fazê-lo em outro software para depois inseri-lo por aqui.

Espero que gostem e possam utilizar em suas atividades de criação de Apresentações PowerPoint.

Inserir, editar e formatar vídeo Novo!

Insira vídeo e personalize sua experiência diretamente no PowerPoint 2010, sem a necessidade de software adicional. Quando você insere vídeos em arquivos, eles agora são inseridos por padrão, portanto, não é preciso gerenciar arquivos adicionais ao fazer o compartilhamento com outras pessoas.

Edite e gerencie com facilidade os vídeos que inserir em arquivos.

  • Indicadores de vídeo: Indique os principais pontos do vídeo para rápido acesso ou gatilho de animações a serem iniciadas automaticamente quando um indicador for alcançado durante a reprodução.
  • Corte de vídeo: Corte o vídeo inserido com um simples clicar e arrastar, para que a audiência veja exatamente o que você quer mostrar.

Figura 1: Corte o vídeo diretamente no PowerPoint 2010.

  • Ferramentas de vídeo: Adicione esmaecimentos, efeitos de vídeo e estilos. A formatação e os efeitos aplicados aos vídeos inseridos em arquivos são preservados durante a reprodução do vídeo.
  • Quadro do pôster de vídeo: Use a área de slide para contar a sua história com mais eficiência e evite retângulos pretos sólidos, os quais são difíceis de imprimir. Selecione um quadro no vídeo ou em uma imagem existente nos arquivos como uma imagem que preenche a área de objeto quando o vídeo não está sendo reproduzido.

Figura 2: Aplique formatação e efeitos aos vídeos na guia Formatar, em Ferramentas de Vídeo. Localize recursos, incluindo indicadores, esmaecimento e corte na guia Reprodução, em Ferramentas de Vídeo.

  • Execute o vídeo como plano de fundo: coloque os objetos de vídeo atrás de espaços reservados ou de outro conteúdo no slide mestre ou nos layouts de slide, ou, em um slide, atrás de outros objetos. Os vídeos inseridos nos arquivos permanecem na ordem em que foram colocados, proporcionando a você a habilidade de executá-los como um plano de fundo dinâmico do slide ou como parte de uma sequência coreografada de animações durante a apresentação.

Dicas:

  • Ao inserir arquivos de vídeo e áudio em apresentações, você insere uma cópia desse arquivo. Sendo assim, toda a formatação e edição realizada no objeto de mídia, no slide, afeta somente a cópia desse objeto que reside na apresentação – o arquivo de mídia original permanece inalterado.
  • Também é possível editar arquivos de áudio inseridos nas apresentações. Corte, adicione esmaecimentos e insira indicadores nos principais pontos.
  • Precisa inserir um vídeo ou áudio existente em arquivos como um link, em vez de inserir o arquivo? Na caixa de diálogo Inserir Vídeo ou Inserir Áudio, selecione o arquivo de mídia a ser inserido, clique na seta ao lado do botão Inserir e clique em Vincular ao Arquivo. Ao inserir vídeo ou áudio como links, você ainda pode usar as ferramentas de edição e formatação para personalizar a mídia no slide, sem afetar o arquivo original.
  • O PowerPoint 2010 oferece mais flexibilidade de formatação de mídia. Insira um conjunto principal de formatos de áudio e vídeo; por exemplo, WMV, WMA e MP3. Os formatos principais compatíveis e integrados variam conforme o sistema operacional. O PowerPoint 2010 também aceita formatos adicionais, como DivX, MOV e H. 264 quando você instala codecs DirectShow disponibilizados por terceiros (pode haver incidência de taxas).
  • Compactar mídia: a inserção de arquivos de vídeo e áudio em apresentações contribui para a criação de apresentações de slides poderosas e dinâmicas. Entretanto, a inserção desses arquivos de mídia também pode aumentar consideravelmente o tamanho de arquivo, dificultando o compartilhamento de apresentações. E arquivos de mídia muito grandes podem exigir mais recursos do sistema para proporcionar alta qualidade de reprodução. Levando consideração essas questões, o PowerPoint 2010 fornece a ferramenta Compactar Mídia, que ajuda a reduzir o tamanho de arquivo e melhorar o desempenho. Basta clicar para selecionar a qualidade de compactação preferida. Se não ficar satisfeito com a qualidade quando executar a mídia após a compactação, você precisará de apenas mais um clique para desfazer a última compactação.
  • Otimizar compatibilidade de mídia: precisa executar a apresentação de slides em outro computador ou enviá-la para que as pessoas a executem em seus próprios equipamentos? A ferramenta Otimizar Compatibilidade de Mídia adapta a codificação dos arquivos de mídia inseridos para ajudar a melhorar a reprodução da apresentação, quando ela for executada em outro computador.


Figura 3: Acesse as opções de compactação e otimização de mídia no modo de exibição Backstage, na guia Informações.

Dica: Para obter mais informações sobre como os recursos corte de vídeo e compactação de mídia funcionam nos arquivos de mídia inseridos, veja seção Dicas para usuário avançado abaixo:

Dicas para usuário avançado

No escritório, na família ou na sala de aula, você é o gênio em PowerPoint? Você dá suporte, ensina ou cria documentos, modelos ou temas para outros usuários do PowerPoint? Se você é um usuário avançado do PowerPoint ou gostaria de ser, configure algumas dicas que podem ajudá-lo a fazer ainda mais com o PowerPoint 2010.

Gerenciar conteúdo de mídia e tamanho de arquivo

Você insere um arquivo de vídeo ou de áudio e usa o recurso de corte para garantir a reprodução apenas das partes a serem compartilhadas com a audiência. Depois, usa a ferramenta Compactar Mídia para diminuir o tamanho da mídia da apresentação para facilitar o compartilhamento. Ou então, você insere vídeo ou áudio nos arquivos como um link e corta o objeto vinculado.
E o que acontece com as partes cortadas ou compactadas do conteúdo de mídia e como os arquivos de mídia originais são afetados?

  • Qualquer ação realizada no conteúdo de mídia inserido ou vinculado, e que foi extraído de arquivos, afeta apenas a cópia desse conteúdo presente na apresentação. O arquivo de mídia original salvo no computador não é afetado.
  • Quando há cortes de vídeo ou áudio, o PowerPoint 2010 retém as regiões de corte. Assim, é possível reverter o corte ou alterar as seções de corte, conforme o necessário.
  • Quando você usa compactação de mídia, se um vídeo cortado for menor que o tamanho de arquivo da versão compactada do vídeo inteiro, a ferramenta Compactar Mídia removerá as regiões cortadas da apresentação.
  • Se executar o Inspetor de Documento e selecionar a opção para remover Propriedades do Documento e Informações Pessoais, as regiões cortadas serão removidas de qualquer conteúdo de mídia da apresentação.

Em breve uma nova publicação para você! Esperamos que você aproveite e aplique em suas criações!


Especialistas na criação de Apresentações Profissionais, Pessoais e Acadêmicas


Microsoft aposta no 3D e leva modelos tridimensionais para o PowerPoint

Olá pessoal!

Vocês sabem que um dos principais produtos da R2 Creative são Apresentações Profissionais em Power Point, e por isso mesmo, sempre que surgem novidades gostamos de compartilhar com nossos clientes e publico. Vejam a seguir uma publicação do site http://tek.sapo.pt, e que trata de novidades que vocês conhecerão agora:

Microsoft aposta no 3D e leva modelos tridimensionais para o PowerPoint

A tecnológica apresentou também uma aplicação de realidade aumentada que vai misturar realidade e virtualidade nas câmaras dos tablets equipados com Windows 10 e Creators update.

Ainda com os holofotes apontados à educação, a Microsoft anunciou esta quinta-feira a implementação de uma nova funcionalidade no PowerPoint. A novidade foi apresentada num segmento dedicado às realidades alternativas e consiste na possibilidade de incluir modelos interativos e tridimensionais nos slides do programa de apresentações que integra o Office 365.

A opção, diz a empresa, funciona tão bem quanto a que permite incluir imagens 2D nos slides. Para o fazer basta clicar em “Inserir” e, de seguida, em “Modelos 3D”. Depois basta selecionar das opções disponíveis e…já está.

A particularidade que pode dificultar o processo é que estes modelos têm de ser produzidos no programa Paint 3D. Mas apesar do stock de opções ainda ser curto, é possível que, com a possibilidade de os integrar num programa tão utilizado a nível global, este venha a aumentar substancialmente nos próximos meses.

Na demonstração feita em palco durante a apresentação que decorreu hoje em Nova Iorque, a Microsoft utilizou um modelo do telescópio espacial Hubble que foi virado e revirado em todos os sentidos para exibir e ilustrar diferentes ângulos do aparelho.

A nova Magic View

Ainda no âmbito do 3D e, neste caso, da realidade aumentada, a Microsoft apresentou a Magic View, uma funcionalidade que vai permitir aos utilizadores sobrepor modelos virtuais tridimensionais sobre planos reais.

Com a chegada do Creators update, a Microsoft melhorou o suporte para utilizadores que criam conteúdos em 3D em equipamentos com Windows 10 com a introdução da app Paint 3D. A aplicação, como referido, permite desenhar, tal como o Paint, mas com a articulação de funcionalidades que permitem a modelagem de elementos em três dimensões.

A View 3D, uma outra app que chegou com a mesma atualização, permite visualizar e interagir com estes modelos.

No entanto, o trio fica completo com a revelação de uma terceira aplicação a que a Microsoft chama Magic View. Com este programa, que recorre a sensores de posicionamento e giroscópios para aprimorar o posicionamento dos modelos, é possível utilizar a câmara do seu tablet Windows como se tratasse de um aparelho de realidade aumentada, como o Microsoft Hololens, por exemplo.

A app está ainda em desenvolvimento e vai chegar no final do ano.

 


Esperamos que gostem das novidades e da leitura. Saudações a todos!


R2 Creative

Especialistas na criação de Apresentações Profissionais, Pessoais e Acadêmicas


 

Você já pode compartilhar documentos pelo WhatsApp

R2 Creative

Especialistas na criação de Apresentações Profissionais e Acadêmicas!


Olá pessoal! Bom dia!

Estou passando para compartilhar com vocês um artigo de Paulo Higa da Tecnoblog, que informa mais uma facilidade que a tecnologia nos oferece para nossas atividades no dia a dia. Falo da possibilidade de enviar documentos e arquivos pelo Whatsapp, cuja facilidade será muito legal e útil a todos que necessitem desta opção.

Como esta novidade entrou na ar em março/2016, é bem provável que muitos já tem esse conhecimento, porém, como é do nosso costume, tudo aquilo que julgamos interessante e útil para a comunicação e marketing das pessoas, compartilhamos a informação. Esperamos que seja útil a você!

Veja a seguir o artigo:

whatsapp-documentos

Você não precisa mais compartilhar links para arquivos na nuvem ou se limitar a enviar somente fotos e vídeos pelo WhatsApp. As versões mais recentes do aplicativo de mensagens para Android e iPhone adicionaram a função de envio de documentos nos chats e grupos, permitindo que você compartilhe rapidamente um PDF com seus contatos.

O recurso ainda é bem limitado se comparado com o que é oferecido por concorrentes como o Telegram, que permite o envio de qualquer tipo de arquivo de até 1 GB — nos meus testes, ainda não era possível enviar nem arquivos do Word pelo WhatsApp, por exemplo, apenas documentos em PDF ou convertidos do Google Drive. Mas já é alguma coisa.

O botão para compartilhar documentos está no menu onde é possível enviar fotos, vídeos, contatos e localização. No caso do Android, você pode enviar arquivos que estiverem tanto na memória do aparelho quanto no microSD. Quem tiver iPhone pode escolher documentos armazenados em serviços de nuvem, como iCloud Drive e Google Drive.

A novidade está sendo liberada aos poucos para todos os usuários com a última versão do WhatsApp para Android e iOS. Se você já atualizou o aplicativo de mensagens no seu Android, mas ainda não recebeu a opção, experimente baixar o APK da versão 2.12.489 diretamente na página do WhatsApp.


logo R2_transparente

 

PowerPoint: adicione 165 templates gratuitos

R2 CREATIVE: Especialista na criação de Apresentações Profissionais e Acadêmicas!

Siga nossas novidades acessando nosso site e registrando o seu email.

slide_extra_2

Template criado por R2 Creative

Olá pessoal, tudo bem?

Estamos passando por aqui hoje para compartilhar uma publicação de ELAINE MARTINS (Tecmundo), que nos dá dicas para aumentarmos as possibilidades de templates no Power Point 2010.

Para quem trabalha e necessita sempre diversificar e até ter artes que atendam suas necessidades, é uma boa opção.

(R2 Creative) “Criar com planejamento e recursos gera beleza, qualidade e visuais magníficos em suas apresentações”.

—————————————————————————————————-

Veja a seguir as dicas para você:

O PowerPoint é uma das ferramentas mais utilizadas por estudantes, profissionais e empresas para a realização de apresentações e palestras. A aplicação, em suas versões mais recentes, que faz parte do pacote Office da Microsoft, trouxe diversas novidades para seus usuários, entre elas a possibilidade de baixar e adicionar novos templates para os slides.

A equipe do Office.com liberou gratuitamente 165 templates para os usuários do PowerPoint 2010. Aproveitando essa oportunidade, preparamos um rápido tutorial ensinando como adicionar os novos modelos às apresentações.

 Pré-requisitos

Os templates disponibilizados para download podem ser utilizados apenas com o pacote do Office 2010, independente da versão ou do idioma em que ele se encontre. Por isso, antes de baixar qualquer tema, certifique-se de que o PowerPoint instalado em seu computador é o mais recente.

Todos os templates disponibilizados gratuitamente pela Microsoft podem ser encontrados no próprio site do Office. Clique aqui para acessar a galeria de templates. Infelizmente, não existe um pacote pronto com todos os temas para baixar. Por isso é necessário fazer o download de cada um dos modelos separadamente.

O download dos temas é bem simples. Clique em cima do template escolhido e aguarde até a abertura da página com os detalhes a respeito do modelo. Em seguida, clique no botão “Download” presente no canto superior esquerdo da tela. Um pequeno termo de utilização será exibido.

área de templates microsoft

Uma vez que você aceite o que está escrito no termo, o download do tema será iniciado. Algumas vezes pode acontecer de o arquivo não ser baixado automaticamente. Quando isso acontecer uma tela será exibida e mostrará um segundo link para que você possa realizar o download do template manualmente.

Hora de trabalhar

Depois que você já instalou a versão mais recente do PowerPoint e fez o download dos templates desejados, é hora de adicioná-los à lista de modelos da aplicação da Microsoft. Você deve ter notado que existem dois tipos de arquivos, o POTX e o PPTX.

A forma de instalar os dois é diferente. Enquanto que para usar o primeiro bastar clicar duas vezes sobre o arquivo, o segundo requer um pouco mais de trabalho para que possam ser facilmente acessados na barra de acesso rápido do PowerPoint.

Para começar, é preciso abrir a pasta de modelos que a aplicação do Office utiliza para carregar os arquivos. Isso pode ser feito abrindo a janela “Executar” do Windows (utilize o atalho Ctrl+R) e digitando o seguinte caminho:

C:\Users\USUÁRIO\AppData\Roaming\Microsoft\Modelos

Onde USUÁRIO deve ser substituído pelo seu nome de usuário no computador.

Com o PowerPoint fechado, copie os arquivos POTX para dentro do diretório executado acima. Você pode renomear os arquivos a fim de tornar mais fácil a identificação dos modelos na hora de acessá-los.

Como utilizar os modelos

Uma vez que os arquivos sejam copiados para a pasta indicada, é hora de aplicá-los nas apresentações. Para isso, clique menu “Arquivo” e escolha a opção “Novo”. Em seguida, na tela à direita, selecione “Meus Modelos” e procure pelo modelo desejado.

meus modelos

Em alguns casos, pode ser necessário habilitar o modelo para edição. Uma pequena barra de alerta será exibida no topo da tela, contendo a opção “Habilitar para edição…”. Basta clicar no botão e aproveitar os novos templates baixados.

Vale lembrar que nem todos os modelos disponíveis contam com fontes, cores e efeitos como os demais templates apresentados pelo PowerPoint. Por isso, preste atenção e veja se o modelo escolhido atende às suas necessidades antes de baixá-lo.

Agora é só aumentar a sua coleção templates e tornar as apresentações e palestras mais elegantes e dinâmicas.

———————————————————————————————

Dinamize a sua comunicação através de nossas Apresentações

Acesse nossa página CONTATO ou envie um email para marcelo.rachid@r2creative.com.br

—————————————————————————————–

 

Os 5 estágios de maturidade no Marketing de Conteúdo

Olá pessoal!

Compartilhando com vocês um artigo da Contentools.

Espero que gostem e os ajude em suas decisões e aplicações.

mkt conteudo contentools

O conhecimento dos estágios da maturidade do marketing de conteúdo é essencial para que as empresas possam entender onde estão e, consequentemente, aonde chegarão em suas estratégias digitais. Algumas questões ajudam a nortear em que estágio uma empresa se encontra. Vamos conhecer melhor cada um deles?

1. Fase inicial

Nessa fase, o foco está totalmente sobre o conteúdo produzido. A empresa investe na elaboração de materiais, mas em geral é por alguma exigência de mercado.

Exemplos: comunicados de imprensa (press releases), folders e novidades sobre produtos e serviços, encartes para publicações do setor e notícias de eventos internos.

Nesta etapa poucos recursos são alocados para o Marketing de Conteúdo e em geral as organizações neste estágio não estão com a visão de expandir seus negócios ou sair do local em que estão (pelo menos até que os concorrentes comecem a superá-las).

2. Fase de germinação

Aquela sementinha do conteúdo já conseguiu vencer barreiras internas e a empresa passa a acreditar no potencial dos conteúdos. Procuram ferramentas que garantam maior visibilidade a seus conteúdos em sites de buscas, já pensa em SEO e pesquisa palavras-chave que poderia usar.

Empresas nesta fase costumam por consequência colher rapidamente suas recompensas. Mas, depois de um tempo, a visibilidade que continua alta já não corresponde mais em pedidos e vendas crescentes – o que é conhecido como ponto máximo do investimento.

3. Fase de crescimento

Nesta etapa, além dos conteúdos sobre os produtos e serviços oferecidos, a empresa passa a produzir conteúdos informativos e úteis aos clientes.

São exemplos: guias de compras e checklists, conselhos sobre como obter mais valor de um produto ou serviço, artigos e posts sobre novidades no mercado que podem impactar a vida dos clientes.

Empresas nesta fase acabam por atrair um número crescente de comunidades sociais nas quais os clientes não são apenas informados, mas na verdade podem sentir o que a marca representa.

4. Fase de destaque

Aqui o conteúdo já não é mais uma semente faz tempo. Ele se destaca, chama atenção para a empresa e atrai muitos interessados para sua sombra. Nesta fase a empresa possui o melhor conteúdo sobre sua área de atuação.

Ela é a referência, a autoridade por possuir sempre a informação adequada ou a melhor resposta para os clientes em seu seguimento. A divulgação de conteúdos em mídias sociais e sites de parceiros são imprescindíveis para caracterizar a facilidade na obtenção destas informações.

5. Fase frutífera

Nesta fase os conteúdos gerados pela empresa para seus clientes são tão bons e úteis que acabam por gerar receita. A empresa já possui controle sobre o quanto investe na produção e na divulgação de conteúdos, quantos interessados atrai, qual o percentual de conversão em prospects e também quantos negócios são fechados. Ou seja, o funil de vendas do marketing digital fica completo e a empresa colhe os frutos, separa sementinhas e as replanta para criar um lucrativo pomar com a organização e divulgação de seus conhecimentos.

Com qual fase você se identifica?

A partir do conhecimento dos estágios de maturidade do Marketing de Conteúdo é possível que as empresas identifiquem em qual fase estão e quais os esforços necessários para se chegar às outras etapas.

Veja a seguir o infográfico:

infográfico_maturidade_conteúdo

As 10 dicas para tirar o máximo proveito do LinkedIn

linked-in-HMG-Creative

 

Por Fernando Freitas

 

Fernanda Brunsizian, durante o evento: "67% dos usuários do LinkedIn já estão fora dos EUA" (foto: Ricardo Akam)

Fernanda Brunsizian, durante o evento: “67% dos usuários do LinkedIn já estão fora dos EUA” (foto: Ricardo Akam)

São nada menos que 300 milhões de usuários espalhados pelos quatro cantos do planeta. Destes, 6% estão concentrados no Brasil, que reúne 18 milhões de internautas que utilizam a rede e ocupa a terceira posição no ranking global, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e Índia. Sim, estamos falando dele: o LinkedIn, maior rede social com foco corporativo do mundo e que, de acordo com a própria equipe da marca, mantém seu crescimento em ritmo acelerado. “São dois novos usuários por segundo”.

Veja a seguir alguns recursos:

1) Tenha um perfil completo
O ideal é ser objetivo e direto, mas sem deixar de preencher todas as informações. Para o sumário, a recomendação é contar a sua história num máximo de dois parágrafos, focando nos resultados que você ajudou as empresas a conquistar. Na experiência, indique os trabalhos anteriores que você realizou, sendo que adicionar fotos, vídeos e apresentações relacionadas às suas atividades consiste numa excelente estratégia. Já quanto aos idiomas, relacione as línguas nas quais você se comunica e o nível de proficiência em cada uma delas. Outra sugestão é de que palavras específicas de cada área devem ser utilizadas (e são até preferíveis). Para quem trabalha com Comunicação, por exemplo, valer-se da expressão “media training” é melhor que tentar explicar que este serviço consiste num “treinamento para executivos aprenderem a lidar com a mídia”. Isto porque, caso alguém vá buscar o perfil de um profissional deste segmento, muito provavelmente utilizará os termos do próprio filão. “Tudo funciona com base em palavras-chave”, explica Fernanda, que atua em São Paulo, onde fica o escritório do LinkedIn para toda a América Latina.

2) Coloque uma foto
Perfis com a foto do usuário são 14 vezes mais visualizados que aqueles sem imagem. Uma forma de aumentar a sua visibilidade, então, é valendo-se deste importante recurso. Por isso, escolha o seu melhor ângulo, capriche no enquadramento e bons negócios!

3) Customize sua URL
O endereço do seu perfil no LinkedIn pode ser customizado. Para isso, basta acessar o menu “perfil” e, em seguida, selecionar a opção “editar perfil”. Depois, é só clicar no item “editar”, que vem ao lado do link exibido logo abaixo da sua foto. Na nova janela que irá abrir, na caixa “URL de perfil público”, escolha a opção “personalize a URL de perfil público” e informe como gostaria que a sua URL ficasse. Como dica, a gerente sugere utilizar seu nome e sobrenome, caso a combinação esteja disponível. “É mais uma forma de você ser encontrado”, enfatiza ela, lembrando que as palavras da URL são indexadas nas pesquisas do Google.

4) Adicione suas conexões
As pessoas com as quais você tem interesses em comum devem ser o foco. Colegas de trabalho e de faculdade, por exemplo, são excelentes opções. Aqui, Fernanda também aproveita para fazer a seguinte indicação: “primeiro, tente encontrar seus contatos através da própria rede. Só envie um e-mail com convite se eles ainda não fizerem parte do LinkedIn. Isto porque você corre o risco de mandar o convite para um endereço eletrônico e a pessoa já ser usuária da rede, utilizando outro”, diz.

5) Siga empresas
O objetivo, aqui, é manter-se informado sobre as corporações que lhe interessam. Por isso, siga tanto aquela em que você trabalha, quanto outras que, por algum motivo, chamem a sua atenção – como uma companhia que você admira e/ou alguma outra na qual você gostaria de trabalhar, por exemplo. “Com isso, todas as atualizações feitas na página da empresa poderão ser visualizadas por você”, pontua a gestora.

6) Siga influenciadores
Tratam-se de líderes de peso no mercado, convidados para escrever conteúdos para o LinkedIn. Você pode seguir tanto canais específicos, quanto os próprios influenciadores, sendo que há mais de 500 opções disponíveis. “São pessoas que podem nos dar novas ideais”, ressalta ela, que também é sincera ao avaliar o atual escopo da página: “hoje, um ponto negativo é que ainda não existe um sistema de buscas por nome. Para encontrar um determinado influenciador, então, é preciso ler toda a lista”, opina.

7) Participe de grupos
Neles, há a possibilidade de debater temas que sejam do seu interesse e, de quebra, conhecer pessoas que também se interessam pelo mesmo assunto. Atualmente, há mais de 2 milhões de grupos disponíveis e, muito provavelmente, a sua área de atuação conta com algumas opções interessantes. Mas lembre-se: cada usuário pode integrar um máximo de 50 grupos. “Ultrapassando isso, acreditamos que prejudica uma participação efetiva”, revela a profissional.

8) Compartilhe
Compartilhar o conteúdo de alguém aumenta as chances de o mesmo ser visto. Por isso, prestigie tanto os posts das suas conexões (aqueles que você efetivamente julgar interessantes), quanto os seus. Fernanda elenca algumas possibilidades: “você pode compartilhar artigos, notícias ou suas próprias atividades: eventos, conferências, apresentações”.

9) Plataforma de Publicação
Esta plataforma permite que você publique textos mais longos. Segundo a própria gestora, ela dá uma mãozinha para quem deseja ‘ganhar seguidores e ampliar sua comunidade’. O bacana é que tanto as suas conexões quanto os seus seguidores poderão visualizar os posts. Não há, então, a necessidade de ser uma conexão direta para ter acesso ao conteúdo, o que aumenta a visibilidade e o impacto das suas mensagens.

10) Encontrar pessoas
No LinkedIn – assim como no ambiente corporativo –, ter as conexões certas é fundamental. Para auxiliar os usuários também neste ponto, Fernanda cita as ferramentas de busca avançada e pesquisa booleana. “Consiste no mesmo tipo de pesquisa utilizada por recrutadores profissionais e permite encontrar pessoas com um perfil específico”.

Os 5 estágios de maturidade no Marketing de Conteúdo

R2 Creative

Especializada na criação de Apresentações Profissionais e Acadêmicas.

____________________________________________

Olá pessoal!

Hoje vamos compartilhar um artigo do site http://contentools.com.br, que trata sobre uma das ferramentas mais utilizadas hoje em dia quando o objetivo é comunicar-se e fazer a diferença.

Esperamos que aproveitem o conteúdo.

O conhecimento dos estágios de maturidade no Marketing de Conteúdo é essencial para que as empresas possam entender onde estão e, consequentemente, aonde chegarão em suas estratégias digitais. Algumas questões ajudam a nortear em que estágio uma empresa se encontra. Vamos conhecer melhor cada um deles?

1. Fase inicial

Nessa fase, o foco está totalmente sobre o conteúdo produzido. A empresa investe na elaboração de materiais, mas em geral é por alguma exigência de mercado.

Exemplos: comunicados de imprensa (press releases), folders e novidades sobre produtos e serviços, encartes para publicações do setor e notícias de eventos internos.

Nesta etapa poucos recursos são alocados para o Marketing de Conteúdo e em geral as organizações neste estágio não estão com a visão de expandir seus negócios ou sair do local em que estão (pelo menos até que os concorrentes comecem a superá-las).

2. Fase de germinação

Aquela sementinha do conteúdo já conseguiu vencer barreiras internas e a empresa passa a acreditar no potencial dos conteúdos. Procuram ferramentas que garantam maior visibilidade a seus conteúdos em sites de buscas, já pensa em SEO e pesquisa palavras-chave que poderia usar.

Empresas nesta fase costumam por consequência colher rapidamente suas recompensas. Mas, depois de um tempo, a visibilidade que continua alta já não corresponde mais em pedidos e vendas crescentes – o que é conhecido como ponto máximo do investimento.

3. Fase de crescimento

Nesta etapa, além dos conteúdos sobre os produtos e serviços oferecidos, a empresa passa a produzir conteúdos informativos e úteis aos clientes.

São exemplos: guias de compras e checklists, conselhos sobre como obter mais valor de um produto ou serviço, artigos e posts sobre novidades no mercado que podem impactar a vida dos clientes.

Empresas nesta fase acabam por atrair um número crescente de comunidades sociais nas quais os clientes não são apenas informados, mas na verdade podem sentir o que a marca representa.

4. Fase de destaque

Aqui o conteúdo já não é mais uma semente faz tempo. Ele se destaca, chama atenção para a empresa e atrai muitos interessados para sua sombra. Nesta fase a empresa possui o melhor conteúdo sobre sua área de atuação.

Ela é a referência, a autoridade por possuir sempre a informação adequada ou a melhor resposta para os clientes em seu seguimento. A divulgação de conteúdos em mídias sociais e sites de parceiros são imprescindíveis para caracterizar a facilidade na obtenção destas informações.

5. Fase frutífera

Nesta fase os conteúdos gerados pela empresa para seus clientes são tão bons e úteis que acabam por gerar receita. A empresa já possui controle sobre o quanto investe na produção e na divulgação de conteúdos, quantos interessados atrai, qual o percentual de conversão em prospects e também quantos negócios são fechados. Ou seja, o funil de vendas do marketing digital fica completo e a empresa colhe os frutos, separa sementinhas e as replanta para criar um lucrativo pomar com a organização e divulgação de seus conhecimentos.

Com qual fase você se identifica?

A partir do conhecimento dos estágios de maturidade do Marketing de Conteúdo é possível que as empresas identifiquem em qual fase estão e quais os esforços necessários para se chegar às outras etapas.

Veja a seguir o infográfico:

infográfico_maturidade_conteúdo

_______________________________________

R2 Creative

Especializada na criação de Apresentações Profissionais e Acadêmicas.

A primeira lei do Novo Marketing

R2 Creative – Especializada na criação de Apresentações

(PPT – PREZI – FLASH – KEYNOTE – 2D – 3D)

———————————-

Olá pessoal!

Hoje vamos compartilhar mais uma publicação do pessoal da Resultados Digitais relacionado a ações de marketing.

Todo processo é dinâmico e está em constante mutação e este artigo vem mostrar que essa evolução não deve ficar somente na preparação ou planejamento, mas em ações efetivas durante estas fases, permitindo um alcance e resultados melhores para pessoas ou empresas.

Uma ótima leitura a todos!

Fonte: http://resultadosdigitais.com.br/ Por André Siqueira

diferença-mala-direta-e-spam

Indo um pouco mais fundo, cheguei a conclusão de que essa imagem retrata o que deveria ser a primeira lei do novo marketing.

A primeira lei do Novo Marketing: Empatia

Existem definições bastante complexas de empatia, mas como gostamos de simplificar, vamos ficar com a seguinte: empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro. Como gostam de dizer os americanos, é colocar o sapato do outro, entender onde o calo aperta.

Parece que muitos dos diretores de marketing de hoje se esquecem do que nossas mães nos ensinam desde pequenos: não faça com os outros aquilo que você não quer que façam com você.

Se colocar na posição de consumidor ao receber o marketing deve ser o primeiro passo antes de realizar qualquer ação. É preciso ser mais imparcial e acabar com a mania de achar que só porque é a sua empresa as pessoas vão gostar.

O que não funciona

Se você se colocar na posição de consumidor vai perceber que algumas coisas não funcionam:

  • Você odeia receber ligações de telemarketing, mala direta não solicitada e spam na caixa de emails.
  • Você não segue perfis no Twitter que não compartilham conteúdo relevante e não segue de volta qualquer spammer que comece a te seguir.
  • Você não gosta quando precisa de atendimento da empresa e não obtém nenhuma resposta.

O que funciona

Por outro lado, se pararmos para pensar em como agimos diariamente, vamos perceber diversas coisas que funcionam bem:

  • Você acompanha blogs relevantes da sua área de atuação e compartilha o conteúdo sempre que acha interessante.
  • Você fica feliz quando é bem atendido por uma empresa e ela resolve seus problemas.
  • Você segue somente as pessoas/empresas com quem você interage e te geram valor.

Conclusão

Se você já conhece o que é bom e o que não é, o que funciona e o que não funciona, por que então continuar investindo naquilo que não funciona?

Antes de executar a sua ação de marketing, sempre pense: o conteúdo vale o retweet? Eu marcaria o email como spam? Se fosse outra empresa que não a minha, essa ação teria relevância ou seria só mais um incômodo?

Nem sempre isso é suficiente, mas sem dúvida já é um ótimo começo.

08 perguntas para sua estratégia de marketing de conteúdo

Olá pessoal!

Hoje vamos compartilhar uma publicação sobre marketing de conteúdo, tão divulgado e ativo que hoje movimenta milhões de pessoas e formas de comunicação por todo o planeta.

Apesar de simples, esperamos que os ajudem a entender melhor sobre esta importante atividade nos dias atuais.

Boa leitura!

contentmarketing1

 

Fonte do artigo: http://marketingdeconteudo.com

Nem sempre ao traçar uma estratégia de marketing de conteúdo, os profissionais envolvidos respondem algumas perguntas básicas que são importantes para o sucesso. Por mais que elas pareçam simples, essas perguntas tocam pontos que podem se tornar críticos se não forem solucionados.

Por isso, fizemos uma lista com 8 perguntas para você se fazer. E se a resposta de algum deles não for positiva, mude o mais rápido possível.

1. Quais são os objetivos de sua estratégia de marketing de conteúdo?

A maioria das empresas não tem uma ideia clara de onde querem chegar com sua estratégia de marketing de conteúdo. Ainda pior, algumas delas sequer sabem onde podem chegar. Um objetivo não pode ser “vender mais” ou então “ter mais likes no Facebook”. É importante tê-los definidos, conhecer quais métricas serão usadas para mensurar o sucesso e acima de tudo, saber o que você tem que fazer para alcançá-lo.

2.  Sua estratégia de marketing de conteúdo está alinhada com a visão geral da empresa?

Qual o papel que seu marketing deverá desempenhar na sua empresa? Além de conhecer seus objetivos, é vital que eles estejam alinhados com a visão de sua empresa. Analise quais são os propósitos de sua estratégia e qual é o caminho que sua empresa irá trilhar. Se eles não estiverem perfeitamente alinhados ou você não conseguir colocá-los próximos, então você tem um sério problema em suas mãos.

3. O seu conteúdo ajuda seu público a melhorar na área de atuação deles?

Você deveria se perguntar isso todo dia. Até nos finais de semana. Se seu conteúdo não está ajudando e educando seu público, por quê continuar investindo nele?

4. Você lê todo o conteúdo que sua empresa cria?

A maioria de gerentes e diretores de marketing não está ciente dos esforços que suas empresas podem estar realizando desnecessariamente todo dia. Para realmente entender o que está funcionando e o que está falhando – em relação à sua estratégia de marketing de conteúdo – você precisa engajar e conhecer todas as peças de conteúdo que sua empresa cria e distribui.

5. Você está se destacando do resto?

Você está criando algo único e de valor? Seu blog leva informações relevantes e de qualidade, que tem a cara da sua empresa? Você é diferente dos seus competidores? Afinal, na maioria dos blogs hoje, é só você retirar a logo do topo da página e colocar a de um concorrente, e ninguém notará a diferença. Acredito que não é isso que você quer para o seu blog.

6. Você está treinando seu time de marketing?

Sempre falamos de envolver sua equipe em sua estratégia de marketing de conteúdo. Você tem um treinamento específico que comunica para seus membros quais são a visão e os objetivos, além das expectativas e dos resultados esperados? Se não, como eles saberão se estão sendo bem sucedidos ou onde eles precisam melhorar?

7. Toda sua empresa está envolvida em sua estratégia?

Fazer com que colaboradores de todas as áreas da empresa participem na criação de conteúdo para sua estratégia de marketing de conteúdo é um grande desafio, mas com ótimas recompensas. Ter diferentes contribuintes para o seu blog será extremamente para criar conteúdo de estilos diferentes, com pontos de vista diferentes e temas variados – que será ótimo para cativar seu público.

8. Você desenvolveu um processo de comunicação para espalhar a visão de sua estratégia de marketing de conteúdo através de sua organização?

(Comece assistindo o Content 2020, da Coca Cola). Tenho certeza que um dos principais motivos da iniciativa que pensou o Content 2020 ter sido adotada rapidamente é o fato de que ela mostra com perfeição a visão da companhia. Como isso é possível? A Coca Cola criou um documento extremamente bem feito sobre o programa que seria o Content 2020. Ele era altamente engajante e compartilhável, fácil de compreender e foi capaz de causar um impacto em milhares de pessoas em curto período de tmepo.

Você pode não ter todas as respostas nesse exato momento – o que é bem normal. Mas você precisa conseguir respondê-las em algum momento. Toda semana – e algumas delas diariamente – você deveria rever essas questões com sua equipe e manter um controle do seu progresso, afinal são pontos extremamente importantes para o sucesso de uma estratégia de marketing de conteúdo.

Quais questões adicionais você acha que deveríamos nos fazer sobre nossas estratégias de marketing de conteúdo? Não deixe de comentar.

——————————————————————

Autor:

Guido Pinto Coelho

Eterno estudante de marketing e publicidade, viciado em Internet e games e totalmente apaixonado por futebol (apesar de ser péssimo jogador.)